Make your own free website on Tripod.com

Um detalhe que faz a diferença

por Debson Luís

A cada dia, uma teoria minha a respeito da política brasileira se faz confirmar mais e mais: a de que existem políticos e politiqueiros. De um lado, homens e mulheres que ingressam na vida pública a fim de dar sua parcela de contribuição com a melhoria, com o aperfeiçoamento de nossa sociedade; do outro, gente desqualificada e sem caráter cujas finalidades capitais são a ostentação e o abuso do poder ou o enriquecimento ilícito.

É muito triste constatar que a maioria dos cargos públicos de todo o país são ocupados por politiqueiros quando há uma necessidade dramática de vê-los ocupados por políticos autênticos. Aliás, estes acabam pagando pelos pecados cometidos por aqueles quando a própria sociedade condena, sem qualquer discriminação, toda a classe política. É só perguntar a qualquer cidadão, de qualquer lugar do país, se ele acredita em algum político e ouvir imediatamente a resposta em tom de extrema decepção: não!

O motivo de haver tanto politiqueiro por aí é muito sabido e dispensa comentários. Entretanto, nunca é demais lembrar que esta laia existe porque nosso povo não tem acesso a uma educação que, mais que ensinar a ler e escrever, somar, subtrair, multiplicar e dividir, deveria formar cidadãos capazes de assimilar, interpretar e avaliar a realidade à sua volta e de escolherem seus representantes com critérios mais rigorosos. E não apenas isso, também cidadãos que participem mais ativamente da vida política de sua comunidade, de seu Estado e do país. Claro que, mesmo assim, estaríamos propensos a cometer um engano, já que errar é humano, e acabar elegendo um ou outro politiqueiro, mas, ao final das contas, a situação seria inversa ao que se constata agora. Além do mais, a vida pública de um sem-caráter restringiria-se a um único mandato, após verificar-se o erro. Infelizmente, a educação está nas mãos dessa gentinha, o que nos obriga a criar alternativas como esta, como este site por exemplo, onde quem tem alguma noção de cidadania tenta passá-la a quem não tem. E, aos poucos, as coisas vão mudando até que chegará o momento em que a transformação para o melhor será inevitável.

O resultado da má formação de um cidadão também é bem conhecido. O cidadão mal formado é aquele sujeito que não tem a mínima idéia de quanto poder seu voto lhe atribui; é a pessoa que troca esse poder por cestas básicas, remédios, contas de água ou de luz ou por pequenos favores. É aquele a quem Bertolt Brecht denominou "analfabeto político". É aquele que, infelizmente, constitui a maioria de nossa sociedade e de quem os politiqueiros se aproveitam, enganam e, com seu voto, se elegem.

É difícil distinguir políticos de politiqueiros? Sim, da forma como eles se apresentam hoje, é difícil sim. Geralmente, só os reconhecemos após elegê-los, mas a arma mais eficaz que temos para combatê-los ainda é o voto. Por isso, devemos acompanhar de perto suas ações para que, ao final de seu mandato, possamos fazer uma avaliação rígida de seu desempenho e sentenciarmos o seu destino. Aos políticos, oportunidade de continuar a sua obra; aos politiqueiros, a morte e o esquecimento.

Retornar à página anterior